Lula: falta de investimento em educação transformou jovens em bandidos

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva culpou nesta segunda-feira (29) os governos anteriores pela falta de investimento nas últimas duas décadas na área educacional que "transformou os jovens em bandidos". “Ao não colocar dinheiro na educação, porque a gente criou durante 20 anos neste país? Um exército de jovens que não tiveram oportunidades. Muitos deles com 25 anos sendo presos hoje em qualquer lugar deste país porque nos anos 80 nos anos 90 não tiveram educação e não tiveram oportunidade de trabalhar. Essa é a verdade nua e crua”, avaliou o presidente em evento no Palácio do Planalto, em que foram entregues 30 escolas federais de educação profissional e 25 campi universitários. Lula ironizou o fato dos outros governos destinarem menos recursos para a educação e que ainda tinham de cumprir com os compromissos de gastos com o FMI (Fundo Monetário Internacional). “Eles não nasceram bandidos, eles foram transformados em bandidos por políticas equivocadas, por visões errôneas e nós estamos percebendo que é a motivação da juventude de hoje - não apenas as escolas técnicas e as universidades, mas em coisa como o Pró-jovem”, completou o presidente. Lula disse ainda que irá no dia 15 de dezembro registrar em cartório todos os feitos do governo e irá distribuir o documento em sindicatos, universidades e na redações dos veículos de comunicação. “Não sei se o Fernando [Haddad] vai continuar na Educação", declarou o presidente rapidamente em seu discurso no evento. Com relação ao assunto, Lula reiterou que não cabe a ele indicar ou sugerir nomes para a composição ministerial de sua sucessora, a ex-ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff. “Eu acho que a Dilma tem as mesmas preocupações que eu tenho. Ela tem condições de manter a relação com vocês mais apurada. (...) To dizendo aqui que eu não posso indicar ministro. Se pudesse pedir uma vaga, eu pedia para mim”, brincou. Segundo presidente, cabe a petista eleita definir o “time” que irá comandar. “Se você monta um time de futebol e não comanda os jogadores, os jogadores derrubam o técnico”, comparou. O presidente Lula e o ministro da Educação, Fernando Haddad, entregaram hoje 30 escolas federais de educação profissional – 18 já em funcionamento e 12 com previsão para o início de 2011. Foram inaugurados ainda 25 campi ligados a 15 universidades federais. A iniciativa faz parte do plano de expansão da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica e representa o avanço do Programa de Expansão e Reestruturação das Universidades Federais (Reuni). As 30 escolas federais de educação profissional estão localizadas no Amazonas, na Bahia, no Ceará, no Espírito Santo, em Goiás, no Maranhão, em Minas Gerais, em Mato Grosso, no Pará, em Pernambuco, no Piauí, no Rio de Janeiro, em Rondônia e em Santa Catarina. Os 25 campi foram inaugurados no Amazonas, na Bahia, no Maranhão, em Minas Gerais, no Pará, na Paraíba, em Pernambuco, no Piauí, no Rio de Janeiro, no Rio Grande do Norte, no Rio Grande do Sul e em Santa Catarina.Agência Folha 11/30/2010

 

VOLTAR

Imprimir esta página
Enviar esta Notícia

 

 
© 2007 Fevest - Feira do Vestibular - Todos os direitos reservados
Copyright FEVEST. Todos os direitos reservados. Desenvolvido por InterBase Informática